Site novo? O que fazer para manter e melhorar seus resultados de SEO

resultados de seo

Seja para adotar um novo posicionamento de marca ou implementar melhorias de design e tecnologia, é muito comum que as empresas sintam a necessidade de mudar o seu site. No entanto, uma migração mal feita pode derrubar o seu tráfego orgânico. Por isso, seguir um checklist de SEO é fundamental para o desenvolvimento e implementação de um site novo. Listamos os principais itens que você deve se atentar durante a migração. Vamos lá?

1. Utilize um ambiente de homologação

Nunca faça uma migração de site antes de testar tudo. Verifique se os redirecionamentos estão funcionando corretamente e revise todos os outros itens do checklist de SEO.  Essa análise deve ser feita em um ambiente de teste privado para evitar problemas quando o site for ao ar. 

2. Alterações de URL

Tenha uma lista com todas URLs de seu site atual. Se você não possui seus próprios registros, pode utilizar uma ferramenta como o Screaming Frog para rastrear todas as URLs e gerar um arquivo.  Você deve analisar se essas páginas vão continuar existindo e se as URLs permanecerão iguais para definir os protocolos de redirecionamentos que devem ser seguidos. Faça uma planilha com todas as URLs antigas e as novas para organizar com clareza.  Por exemplo:

tabela com exemplos de redirecionamentos de URLs para migração de site

3. Confira se não há páginas duplicadas

A canonização de URLs é um dos itens mais importantes do checklist. Se você tiver uma única página que pode ser acessada através de URLs diferentes, isso resulta em conteúdo duplicado. Por isso, você precisa definir qual será a URL padrão e fazer com que as suas respectivas variações sejam redirecionadas para ela (via redirect 301).

Por exemplo, um site pode possuir as seguintes URLs que apontam para a página inicial:

minhaloja.com.br
www.minhaloja.com.br
minhaloja.com.br/
www.minhaloja.com.br/
www.minhaloja.com.br/index.php

Isso significa que há diversas formas de acessar uma mesma página. Supondo que você determine que a URL padrão de seu site novo seja “www.minhaloja.com.br”, todas as outras variações devem fazer o redirecionamento 301 para ela.

4. Redirecione todas as URLs com “http” para “https”

O HTTP é um protocolo de comunicação da internet para transferir dados entre o servidor e o usuário. Já o HTTPS é uma versão idêntica ao HTTP, mas possui uma camada adicional de segurança (SSL) que garante uma conexão criptografada e, portanto, segura.

Por isso, todas as URLs do seu site precisam utilizar o protocolo HTTPS. Você precisa fazer a conferência de que as URLs com “HTTP” façam o redirecionamento 301 para as versões com “HTTPS”. 

5. Crie um novo sitemap e cadastre no Google Search Console

O sitemap é um arquivo XML que deve conter todas as URLs de seu site. Ele é, literalmente, o mapa do site que indica aos robôs dos mecanismos de busca quais páginas devem ser indexadas. Através do sitemap, o Google consegue entender a estrutura de seu site, o que contribui para o seu ranqueamento nos resultados de busca orgânica. Por isso, é necessário criar um novo sitemap e incluir todas as URLs, inclusive de imagens, e depois cadastrá-lo no Google Search Console.

6. Atente-se à velocidade de carregamento

Ter um site mais rápido significa proporcionar uma melhor experiência para o usuário, o que é um critério muito importante de ranqueamento para o Google.

Diversas questões devem ser observadas para analisar a velocidade de carregamento do site. Você pode utilizar o Web Page Test, uma ferramenta online gratuita, para gerar um relatório com os problemas de velocidade.

Algumas dicas para melhorar a velocidade de seu site:

  • Reduza o tamanho das imagens para menos de 100 kb;
  • Evite o máximo possível arquivos JS e CSS;
  • Prefira utilizar fontes padrão para evitar o excesso de arquivos .woff;
  • Faça com que todo seu conteúdo, principalmente imagens, passem por uma compressão no servidor;
  • Configure o tempo de armazenamento de cache de todos os arquivos para mais de 7 dias;
  • Coloque todos os arquivos do site em CDN (Content Delivery Network).

7. Otimize seu conteúdo

Conteúdo é tudo aquilo que o usuário consome em seu site: texto, imagens, URLs, links, vídeos, etc. Este é o pilar mais importante do SEO. O conteúdo deve ser relevante e contemplar as palavras-chave importantes para o seu negócio. 

  • Titles e Descriptions

Crie titles e descriptions para todas as páginas de seu site. Estes elementos devem conter a palavra-chave foco da respectiva página e outras que são relevantes. Os titles devem ter entre 30 e 65 caracteres e as descriptions, entre 70 e 155 caracteres. Mesmo que exista essa margem mínima, tente aproveitar ao máximo esse espaço. 

Por exemplo:

Página www.minhaloja.com.br/calcados

Title:
Calçados: Tênis, sapatos e Mais – Minha Loja – Porto Alegre

Description:
Encontre Calçados em Porto Alegre. Tênis, Sapatos, Sapatilhas, Sandálias, Botas, Rasteiras e Muito Mais em Oferta. Aproveite e Confira Nossos Produtos! 

  • URLs otimizadas

Aqui estamos nós falando de URLs de novo… Mas as URLs também são um elemento de conteúdo e devem ser otimizadas. Evite URLs muito longas e que contenham informações desnecessárias. A URL deve conter a palavra-chave foco da página e ser a mais simplificada possível.

  • Heading tags

Utilize uma estrutura de heading tags (H1, H2, H3…). As heading tags servem para construir uma estrutura de hierarquia de conteúdo. 

Todas as suas páginas devem ter uma H1 (apenas uma!) e não podem ser iguais. Ou seja, cada página deve possuir uma H1 exclusiva. A H1 deve conter a palavra-chave foco da página e, por isso, geralmente é atribuída ao “título” da página, que seria o tema principal dela. 

A tag H2 não é obrigatória, e pode haver mais de uma por página (mas também não pode ser repetida em outras páginas). Ela pode ser utilizada para destacar subtítulos ou subtópicos, por exemplo. 

exemplo de heading tag h1 e h2

Existe ainda a H3, H4, H5, H6 que podem ser utilizadas se necessário (para seguir uma ordem lógica de hierarquia). 

  • Texto alternativo das imagens

O texto alternativo de imagens consiste, justamente, em um texto que deve descrever a imagem. Caso um deficiente visual acesse o seu site, ele poderá saber sobre o que se trata a imagem ao executar um software sintetizador de voz, que fará a leitura do atributo “ALT”.

Além disso, os próprios robôs do Google não são capazes (ainda) de compreender o significado de uma imagem se baseando apenas em recursos visuais. Por isso, você deve inserir um texto alternativo em todas as imagens de seu site.

8. Faça testes de segurança

Garantir que o seu site esteja seguro deve ser uma das principais preocupações na hora de migrar. Além de utilizar o protocolo HTTPS que já comentamos,  realize testes de segurança antes de colocar o seu site no ar. Para isso, utilize ferramentas para detectar possíveis falhas de segurança, como o Mozilla Observatory, que faz um “scan” de seu site e gera um relatório de problemas detectados.

Você está a fim de criar um site novo porque gostaria de alcançar melhores resultados, não é mesmo? É fundamental, portanto, que você tenha muito cuidado durante a migração para que o efeito não seja reverso.

Listamos aqui os principais itens que devem ser observados na hora de fazer um site novo. No entanto, o processo de migração é complexo e envolve, ainda, outras análises técnicas mais minuciosas. O ideal é que você conte com uma agência especializada em SEO para te orientar durante a migração. Que tal fazer isso com a Whip?

This entry was posted in SEO. Bookmark the permalink.