SEO: o que fazer para aparecer na primeira página do Google?

Dicas de SEO para aparecer na primeira página do Google

Quantas vezes você já recorreu ao Google para pesquisar por um produto, encontrar um estabelecimento, tirar alguma dúvida, descobrir como se faz alguma coisa…? Utilizar o mecanismo de busca para encontrar soluções já faz parte do nosso cotidiano há muito tempo. Geralmente, optamos por clicar nos links da primeira página dos resultados. Raras vezes avançamos para segunda, que dirá para a terceira, quarta, ao infinto e além. E é por isso que ser encontrado na primeira página do Google é um dos principais desafios de qualquer empresa.

Mas afinal, o que fazer para melhorar seu posicionamento no Google?

Há duas maneiras de destacar um site nos resultados de busca: através de anúncios pagos (links patrocinados) ou com o trabalho de SEO (otimização do site para os mecanismos de busca). Quando você realiza uma pesquisa no Google, se houver campanhas de links patrocinados para a palavra-chave utilizada, estes serão os primeiros resultados exibidos em sua busca. Logo abaixo destes anúncios, são listados os resultados orgânicos. Ambas as formas são importantes e cada qual possui suas vantagens, que podem e devem ser trabalhados simultaneamente. Mas hoje, o nosso assunto aqui é SEO.

SEO: principais recomendações para ganhar performance orgânica

O trabalho de SEO consiste em um conjunto de técnicas para melhorar a performance de um site nos resultados de busca orgânica. Existem inúmeros fatores que o Google considera para critérios de ranqueamento e seria impossível listarmos todos eles aqui. Mas simplificando: você precisa entregar a melhor experiência para o usuário.

Vamos pensar juntos: se você quer que as pessoas cheguem até o seu site através do Google, você precisa entregar um conteúdo relevante que corresponda às pesquisas.  Mas de nada adianta se o seu site for lento, não tiver usabilidade e apresentar falhas de segurança, por exemplo. Conseguiu captar a ideia?

Existem muuuitas coisas envolvidas em um projeto de SEO. O ideal é que sua empresa conte com  um profissional ou contrate uma agência especializada em SEO, pois se trata de um trabalho técnico e contínuo. Mas se isso não for possível, você pode fazer algumas coisas por conta própria. Vamos lá:

1. Escolha de palavras-chaves

A definição de palavras-chaves é crucial para a construção de todo o projeto de SEO. Isso porque o seu objetivo é, justamente, fazer com que um site seja encontrado nos resultados orgânicos dos mecanismos de busca. Logo, uma empresa que deseja ser encontrada no Google quando o usuário pesquisar por assuntos, produtos e serviços que tenham relação com o seu negócio, precisa ter conteúdos em seu site focados nas palavras-chaves correspondentes.

Monte um portfólio reunindo todas as palavras-chaves relevantes para o seu negócio, desde as mais genéricas até a mais específicas. Algumas ferramentas podem lhe ajudar neste trabalho, como o Google Analytics (relatórios de desempenho do seu site), Keyword Planner (plataforma para gerenciamento de links patrocinados), Google Trends, Ubbersugest e, se estiver disposto a investir um pouco, o SemRush.

Dica: dê prioridade às palavras-chaves mais específicas, pois elas têm maiores chances de indexação. Por exemplo: a concorrência pela palavra-chave “restaurante” é muito ampla. Enquanto “restaurante de comida chinesa em Porto Alegre” é muito mais específica e, logo, mais fácil o ranqueamento (e que certamente atrairá um tráfego mais qualificado para o site).


2. Conteúdo de qualidade

Após identificar as palavras-chaves importantes para o projeto, é hora de criar conteúdo relevante. Aposte na criação de landing pages para dar ênfase a produtos e serviços específicos, dessa forma, você pode criar um conteúdo totalmente focado para a palavra-chave correspondente. Ter um blog vinculado ao site é uma ótima estratégia para publicar conteúdo relevante e com frequência, que também é ponto positivo para o Google. Além disso, sites de e-commerce devem aproveitar os espaços das descrição de produtos.

Observação: Tenha muito cuidado com o conteúdo duplicado! Essa prática é má vista pelo Google e suas páginas podem deixar de serem indexadas por isso. Portanto, nunca copie conteúdo de terceiros e evite aproveitar o mesmo conteúdo para mais de uma página de seu site. No entanto, há situações que é inevitável e não se trata de uma prática enganosa, como as de lojas virtuais que possuem produtos com variações. A solução para estes casos é a utilização da canonical tag. Assim, quando um produto possui duas cores disponíveis, cada uma com uma URL diferente, é necessário aplicar a canonical tag. Dessa forma, as páginas podem compartilhar os mesmos títulos e descrições, pois os robozinhos do Google vão entender que não se trata de conteúdo duplicado.

3. Titles e descriptions

Personalize os títulos e descrições de todas as páginas de seu site. Recomendamos que suas titles tenham no máximo 65 caracteres, enquanto as descriptions não devem ultrapassar o limite de 155 caracteres. Você pode utilizar o nosso contador de caracteres para isso. Nestes campos, tente explorar ao máximo as palavras-chaves importantes para a página em questão. No final de suas descrições, experimente elaborar chamadas para visitar o site, como “confira!”, “aproveite”. Adicionar algum diferencial como “10% DE DESCONTO no boleto”, “em até 12x sem juros”, “FRETE GRÁTIS”, por exemplo, também é uma ótima estratégia.

Exemplo:

Title: Lian: Restaurante de Comida Chinesa | Tele Entrega | Porto Alegre

Description: Conheça O Lian! Yakissobas, Rolinho Primavera, Frango Xadrez, Guioza, Chop Suey, Pastel Chinês e Muito Mais. TELE ENTREGA GRÁTIS Na Zona Norte. Confira!

4. URLs amigáveis

A URL é um dos fatores mais importantes para o Google. Muitos sistemas de criação de site geram URLs automáticas e não otimizadas para o mecanismo de busca. Faça URLs curtas, simples, compreensíveis e focadas nas palavras-chaves correspondentes à página. Dispense caracteres desnecessários, como códigos de produto, que “poluem” a URL.

Exemplos de URLs otimizadas:

www.liancomidachinesa.com.br/cardapio

www.liancomidachinesa.com.br/tele-entrega

www.liancomidachinesa.com.br/programa-fidelidade

www.liancomidachinesa.com.br/seja-um-franqueado

www.liancomidachinesa.com.br/blog/receita-de-molho-agridoce-chines

5. Links internos

É importante trabalhar com links internos com o objetivo de dar maior relevância às páginas de seu site. Por exemplo, o site fictício do Lian Comida Chinesa pode possuir uma landing page focada na palavra-chave “cardápio de comida chinesa”. O Lian, que além de ser o chef de cozinha e proprietário do restaurante, decidiu que quer melhorar o SEO do site e vai começar a escrever posts para o blog. O primeiro post será a “receita de yakissoba vegetariano”. No texto, ele pode dizer que o yakissoba é o principal prato do cardápio de comida chinesa de seu restaurante. Ao citar “cardápio de comida chinesa”, ele deverá linkar este termo para aquela landing page. Dessa forma, os mecanismos de busca compreendem que esta página é relevante, agregando valor a mesma e contribuindo para seu ranqueamento.

6. Google Meu Negócio: mapa, informações e avaliações de consumidores

No Google Meu Negócio você pode cadastrar informações de sua empresa como nome, descrição, localização, fotos, horário de funcionamento, website e telefone. O Google utiliza estes dados para exibir nos resultados de busca, já que são consideradas informações confiáveis por terem sido concedidas pela própria empresa. A funcionalidade mais interessante da ferramenta é a de geolocalização, que pode atrair potenciais clientes para o seu estabelecimento quando estiverem por perto. Por exemplo, se uma pessoa estiver viajando e pesquisar por “comida chinesa” através de seu smartphone, o buscador irá apresentar os resultados mais próximos dela. Legal, né?

As avaliações de consumidores, outro recurso do Google Meu Negócio, também é um recurso relevante para o SEO. As empresas que possuem uma média de avaliações (notas em estrelas de 0 a 5) e comentários mais positivos são melhores ranqueadas. Ou seja, a quantidade e qualidade das avaliações são fatores significativos para a classificação orgânica.


Você consegue enxergar, agora, que tudo se trata de entregar uma boa experiência? Não nos aprofundamos aqui sobre a usabilidade, segurança e velocidade do site, itens de extrema importância para o SEO. Mas justamente por serem questões ainda mais técnicas, recomendamos que você considere investir em profissionais qualificados para planejar e executar o seu projeto.

Tenha em mente que, mesmo que você consiga conquistar algumas posições no Google, esses resultados não são permanentes. O trabalho de SEO deve ser contínuo. É preciso analisar constantemente o seu desempenho, traçar novas estratégias, criar e refazer conteúdos com frequência, aplicar mudanças estruturais no site, ficar atento a problemas técnicos, etc. É impossível que você dê conta de tudo sozinho se não for um profissional da área aplicado somente a esta função.

Que tal trocar uma ideia com a gente para saber como podemos te ajudar a aparecer na primeira página do Google? Entre em contato com a Whip!


This entry was posted in SEO. Bookmark the permalink.